Durante a semana passada, publiquei uma notícia a respeito do lançamento do livro “As Cinco Esposas de Nathan“, publicado pela editora Casa do Escritor e escrito pelo brasileiro Clóvis Nicacio.

O livro é bastante interessante, e lida com temas bastante atuais e/ou chamativos, como por exemplo extraterrestres, tecnologia, mulheres empoderadas e muita ficção científica.

Pois bem, surgiu a oportunidade de receber aqui no site um artigo escrito pelo autor de “As Cinco Esposas de Nathan”. Um artigo interessantíssimo, aliás, o qual trata também a respeito de temas, digamos, delicados e atuais.

Temas, eu diria até, que devem ser bastante discutidos, principalmente durante estes infelizes e negros tempos que vivemos atualmente em nosso país.

Fique agora com o artigo!

Poliamor: tabu ou preconceito?

Por Clóvis Nicacio

Escrever Literatura Especulativa sempre nos traz surpresas. Este gênero literário permite combinar outros gêneros no mesmo texto: terror, história, ficção, romances. Até mesmo comportamentos diferentes, humanos ou não.

Agora tomei conhecimento de uma palavra nova e me identifiquei com ela. Nova para mim, pois já existe há muitos anos: poliamor. Significa manter um relacionamento simultâneo entre mais de duas pessoas, incluindo sexo, com o conhecimento e consentimento de todos os envolvidos.

Claro que nos dias de hoje, isso envolve muitos tabus e preconceito. No futuro vai se tornar uma situação normal. O que separa a ficção da atualidade é o fator tempo.

Esses dois temas foram usados em quase todos os meus títulos, junto das mulheres mais empoderadas possíveis. Vou citar alguns exemplos.

No conto Luas de mel, publicado pela Editora Oito e Meio dentro da antologia Tabu, Jaque descobre a amiga tendo um marido e uma esposa, num relacionamento triplo. Ela fica interessada e comenta com o próprio marido.

Homem lendo livro

Ele também se interessa, já pensando em ter duas mulheres. Quando ela informa querer dois maridos, o machismo dele aflora e o casamento naufraga. Esses casamentos triplos se chamam trisal, outra palavra nova, recém descoberta.

O conto Rituais de procriação foi escrito para uma coletânea LGBT e não aprovado. Na época, eu havia acabado de criar o Recruta espacial, um personagem até então não explorado.Ele foi a vítima, retratado como um gay circunstancial. Imagine uma nave de guerra viajando pelo espaço, recheada com 90% de homens em missões durando meses ou anos. As necessidades humanas criaram relações homoafetivas naturalmente. O recruta e Jackson se tornaram namorados e nesse conto são os protagonistas de um resgate de turistas humanos.

Como este conto não foi selecionado, foi a vez do Recruta ser resgatado no conto seguinte, A mulher mais quente do universo. Ele conhece uma alienígena e ambos se apaixonam de uma forma impossível, pois ela é nociva para a espécie humana.

Mas também é uma cientista e médica, capaz de encontrar um meio de ficarem juntos, a longo prazo. Ela vai salvar a vida de Jackson numa próxima história e criar um trio amoroso diferente: o recruta ficará mais dividido entre Jackson e a Embaixadora. Os dois contos já escritos estão publicados na Amazon.

Já em MRQ-7000, duas doutoras, uma cirurgiã e uma psicóloga, combatem a Inteligência Artificial revoltada dentro do hospital. Quando Dalva é sequestrada, Clara revela a capacidade de combate de uma militar sabotada dez anos antes, quando pretendia entrar para as Forças Armadas.

O amor desperta a guerreira tipo Lara Croft dentro dela. No final, depois do resgate e da destruição do hospital, as duas se casam e planejam se unir a outra mulher apresentada na história, uma sacerdotisa africana.

O ápice destas histórias de poliamor aconteceu no livro As cinco esposas de Nathan. São cinco mulheres militares com capacidade de voltar no tempo e ajudar a formar a carreira do marido, uma pessoa com deficiência física transformado por elas em um James Bond.

Afinal, o homem-que-não-envelhece é o Protegido da Deusa. Além de estarem casadas com ele no Século XXII, elas também são casadas entre si, vivendo juntas em harmonia, sem competição e sem preferências.

Estrelas

Esse tipo de comportamento, quando adotado em larga escala, pode indicar a diminuição ou o fim de muitos problemas atuais: divórcios, ciúme, traição, feminicídio, por exemplo. Espero que seja consequência da evolução humana natural e não consequência de cataclismos, como o descrito no livro.

O componente tabu também prolifera em quase todos os meus livros. Desde sedutoras vampiras discutindo por causa de um batom, até o rapazinho sensível se protegendo do bullying através do casamento com um vampiro samurai assassino. Mas deixarei isso para um outro artigo.